Diabetes e atividade física


Vários estudos demonstram a importância do exercício no controle da glicemia (níveis de açúcar no sangue), evidenciando a prática regular de atividade física como importante aliada no controle do diabetes.

Diabetes Tipo 1 


No caso do DM1 (diabetes Mellitus Tipo 1) onde há uma maior probabilidade de ocorrerem hipoglicemias, hiperglicemias e até cetose em decorrência do exercício, a prática regular de atividade física também é indicada, porém, vários aspectos devem ser conhecidos e considerados antes da elaboração de um programa de exercícios.

A prescrição de exercícios deve ser sempre precedida de indicação médica e orientação nutricional, e o portador de diabetes deve ser acompanhado por um Educador físico que deve saber que está supervisionando um aluno com diabetes e ter conhecimento sobre a diabetes para a elaboração de um programa de exercícios adequado e personalizado. A prática de atividade física sem monitorização, para o diabético em especial, é muito arriscada e deve levar em conta vários aspectos como o tipo de diabetes, idade do indivíduo, modalidade de treino, alimentação habitual, medicação em uso e doenças associadas, como hipertensão arterial e alterações cardiovasculares.


Diabetes Tipo 2 


Dieta, exercícios físicos regulares, auto monitorização e educação em saúde são os princípios básicos para o tratamento do DM2 (diabetes Mellitus Tipo 2). Este tipo de diabetes é caracterizado por sobrepeso ou obesidade, resistência à insulina e hiperinsulinismo, sobretudo na sua fase inicial. A prática regular de exercícios físicos faz com que haja uma melhora da sensibilidade à ação da insulina. Com isso, há uma melhora na captação de glicose periférica e os níveis de glicose sanguínea tendem a diminuir.


Em resumo, a atividade física é uma importante aliada no controle da glicemia para quem tem diabetes tipo 1 ou tipo 2, porém, profissionais de saúde como médico, educador físico e nutricionista, precisam estar atentos às alterações apresentadas durante o exercício, para que sejam feitos periodicamente os ajustes necessários nas doses de insulina, dieta, medicamentos e no programa de exercícios.

Exercício no controle do diabetes

Confira 10 benefícios da atividade física no controle do diabetes

1. Auxilia na melhora dos níveis de açúcar no sangue, como resultado de uma maior utilização deste substrato energético por outras vias metabólicas.


2. Atua na prevenção de doenças cardiovasculares, reduzindo fatores de risco como hiperinsulinemia, dislipidemia, e também pelo aumento do HDL que é o bom colesterol.


3. Reduz o peso corporal, principalmente se a atividade física estiver associada com uma dieta orientada por um nutricionista.


4. Auxilia no controle da hipertensão arterial leve e moderada.


5. Melhora a resposta imunológica, aumentando o sistema de defesa do corpo.


6. Aumento da densidade mineral óssea e prevenção da osteoporose.


7. Contribui para o aumento do tônus muscular, força e flexibilidade.


8. Reduz os níveis de ansiedade.



9. Promove a integração social e diminui o stress psicológico causado pelo tratamento, principalmente no caso de crianças com diabetes tipo 1 em insulinoterapia.


10. Melhora da aptidão física, proporcionando mais qualidade de vida. 


Concluindo


A prática de exercícios físicos requer uma mobilização rápida de glicose para o fornecimento da energia adequada para os músculos em atividade e o efeito hipoglicemiante (capacidade de diminuir os níveis de açúcar no sangue) dos exercícios físicos é indiscutível. Desta forma, se você precisava de um bom motivo para começar a se exercitar agora não tem mais desculpas.

Fonte: Abordagem Nutricional em Diabetes Mellitus – Brasília: Ministério da Saúde, 2000.

Diabetes e atividade física Diabetes e atividade física Reviewed by Renata Ribeiro on junho 14, 2017 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.